108361668Política15-10-2019 18:52:39Mais mulheres e menos família. Costa já apresentou governo a Marcelo Rebelo de SousaMaior executivo em ministérios desde 1976 e com número recorde de ministras.<p>O Presidente da Rep&uacute;blica recebeu esta ter&ccedil;a-feira, a seu pedido, o Primeiro-Ministro indigitado do XXII Governo Constitucional &ndash; Dr. Ant&oacute;nio Costa &ndash; que lhe submeteu a seguinte proposta de composi&ccedil;&atilde;o do Governo:<br /><br />Primeiro-Ministro - <strong>Ant&oacute;nio Costa</strong>;<br />Ministro de Estado, da Economia e da Transi&ccedil;&atilde;o Digital - <strong>Pedro Siza Vieira</strong>;<br />Ministro de Estado e dos Neg&oacute;cios Estrangeiros - <strong>Augusto Santos Silva</strong>;<br />Ministra de Estado e da Presid&ecirc;ncia - <strong>Mariana Vieira da Silva</strong>;<br />Ministro de Estado e das Finan&ccedil;as - <strong>M&aacute;rio Centeno</strong>;<br />Ministro da Defesa Nacional - <strong>Jo&atilde;o Gomes Cravinho</strong>;<br />Ministro da Administra&ccedil;&atilde;o Interna - <strong>Eduardo Cabrita</strong>;<br />Ministra da Justi&ccedil;a - <strong>Francisca Van Dunen</strong>;<br />Ministra da Moderniza&ccedil;&atilde;o do Estado e da Administra&ccedil;&atilde;o P&uacute;blica - <strong>Alexandra Leit&atilde;o</strong>;<br />Ministro do Planeamento -<strong> Nelson de Souza</strong>;<br />Ministra da Cultura - <strong>Gra&ccedil;a Fonseca</strong>;<br />Ministro da Ci&ecirc;ncia, Tecnologia e Ensino Superior - <strong>Manuel Heitor</strong>;<br />Ministro da Educa&ccedil;&atilde;o - <strong>Tiago Brand&atilde;o Rodrigues</strong>;<br />Ministra do Trabalho, Solidariedade e Seguran&ccedil;a Social - <strong>Ana Mendes Godinho</strong>;<br />Ministro da Sa&uacute;de - <strong>Marta Temido</strong>;<br />Ministro do Ambiente e da A&ccedil;&atilde;o Clim&aacute;tica -<strong> Jo&atilde;o Pedro Matos Fernandes</strong>;<br />Ministro das Infraestruturas e da Habita&ccedil;&atilde;o - <strong>Pedro Nuno Santos</strong>;<br />Ministra da Coes&atilde;o Territorial - <strong>Ana Abrunhosa</strong>;<br />Ministra da Agricultura - <strong>Maria do C&eacute;u Albuquerque</strong>;<br />Ministro do Mar- <strong>Ricardo Serr&atilde;o Santos</strong>;<br />Secret&aacute;rio de Estado dos Assuntos Parlamentares -<strong> Duarte Cordeiro</strong>;<br />Secret&aacute;rio de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro - <strong>Tiago Antunes</strong>;<br />Secret&aacute;rio de Estado da Presid&ecirc;ncia do Conselho de Ministros - <strong>Andr&eacute; Moz Caldas</strong>.</p> <p>O Presidente da Rep&uacute;blica deu o seu assentimento &agrave; proposta que ser&aacute; oportunamente complementada com os restantes Secret&aacute;rios de Estado.</p> <p>A nomea&ccedil;&atilde;o e posse do XXII Governo Constitucional est&aacute; prevista para a pr&oacute;xima semana em data a determinar depois da publica&ccedil;&atilde;o do mapa oficial da elei&ccedil;&atilde;o realizada em 6 de outubro e da primeira reuni&atilde;o da Assembleia da Rep&uacute;blica.<br /><br />Ap&oacute;s apresentar a lista ao Chefe de Estado, o primeiro-ministro disse considerar que este novo Governo &eacute; "coeso". Para elaborar esta lista, Costa explica que se procurou "refor&ccedil;ar o centro do Governo, tendo em conta que esta legislatura ser&aacute; exigente".<br /><br />Ant&oacute;nio Costa considera que, depois de Marcelo Rebelo de Sousa dar o seu assentimento &agrave; lista apresentada, "est&atilde;o criadas as condi&ccedil;&otilde;es para que a Assembleia da Rep&uacute;blica possa iniciar fun&ccedil;&otilde;es".&nbsp;</p>0https://www.cmjornal.pt/politica/detalhe/ja-foi-apresentada-a-lista-dos-ministros-do-proximo-governo-saiba-quem-saohttps://www.cmjornal.pt/politica/detalhe/ja-foi-apresentada-a-lista-dos-ministros-do-proximo-governo-saiba-quem-sao//cdn.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_15_19_36_41_894243_im_637067653269877529.png//cdn1.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_15_19_36_42_894245.jpg//cdn2.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_15_19_36_42_894244.jpg//cdn3.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_15_19_16_31_894239_im_637067639703268728.png//cdn4.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_15_19_16_32_894241.jpg//cdn5.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_15_19_16_33_894242.jpg//cdn.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_15_19_16_32_894240.jpg108361855Mundo15-10-2019 17:52:22Macacos a gritar de dor e cães ensanguentados: as imagens perturbadoras de um laboratório de testes na EuropaVídeo divulgado por ativistas dos direitos dos animais mostra cenário de horror na Alemanha.<p>Macacos a gritar de dor, c&atilde;es e gatos ensanguentados e a ser submetidos a testes que os podem levar &agrave; morte. Foi este o cen&aacute;rio de horror revelado por um v&iacute;deo filmado por ativistas dos direitos dos animais.</p> <p>As imagens foram captadas secretamente no Laborat&oacute;rio de Farmacologia e Toxicologia em Hamburgo, na Alemanha, por um ativista que se disfar&ccedil;ou de trabalhador.</p> <p>As imagens perturbadoras mostram macacos a chorar como se se tratasse de beb&eacute;s rec&eacute;m-nascidos enquanto s&atilde;o pendurados com ligas de metal amarradas ao pesco&ccedil;o. Quando n&atilde;o est&atilde;o acorrentados e a ser submetidos a testes, os animais s&atilde;o enjaulados.</p> <p>Os oito minutos de v&iacute;deo mostram ainda testes a ser realizados em c&atilde;es, gatos e at&eacute; coelhos.</p> <p>Segundo a organiza&ccedil;&atilde;o &lsquo;Cruelty Free International&rsquo;, os testes envolvem o envenenamento dos animais para que seja poss&iacute;vel medir a quantidade de produto qu&iacute;mico necess&aacute;rio para causar danos, de modo a que seja poss&iacute;vel quantificar a dose &lsquo;segura&rsquo; para humanos.</p> <p>Os efeitos s&atilde;o tamb&eacute;m espelhados no cruel v&iacute;deo agora divulgado. V&oacute;mitos, sangramento, febre, fal&ecirc;ncia de &oacute;rg&atilde;os e, por vezes, a morte.</p> <p>Os grupos de ativistas e contra a crueldade em animais pedem uma revis&atilde;o das leis e puni&ccedil;&atilde;o imediata para este tipo de testes.</p> <p><iframe width="560" height="315" src="https://www.youtube.com/embed/MSmAEPD86KM" frameborder="0" allow="accelerometer; autoplay; encrypted-media; gyroscope; picture-in-picture" allowfullscreen="allowfullscreen"></iframe></p>0https://www.cmjornal.pt/mundo/detalhe/macacos-a-gritar-de-dor-e-caes-ensanguentados-as-imagens-perturbadoras-de-um-laboratorio-de-testes-na-europahttps://www.cmjornal.pt/mundo/detalhe/macacos-a-gritar-de-dor-e-caes-ensanguentados-as-imagens-perturbadoras-de-um-laboratorio-de-testes-na-europa//cdn1.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_15_17_52_08_894220.png//cdn2.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_15_17_52_08_894219.png108348665Portugal15-10-2019 09:10:19Rosa Grilo e amante tinham 'app' instalada que apagava automaticamente as mensagens que trocavam no Whatsapp Sexta sessão de julgamento conta com a inquirição de inspetores da Polícia Judiciária envolvidos no processo. Rosa Grilo e Ant&oacute;nio Joaquim regressaram esta ter&ccedil;a-feira ao Tribunal de Loures para mais uma sess&atilde;o - a sexta - do julgamento da morte do triatleta Lu&iacute;s Grilo.&nbsp;Esta sess&atilde;o contou com a inquiri&ccedil;&atilde;o de v&aacute;rias testemunhas, nomeadamente alguns inspetores da Pol&iacute;cia Judici&aacute;ria envolvidos no processo e o agente de seguros do triatleta.&nbsp;<br /><br />Durante a investiga&ccedil;&atilde;o, a PJ ter&aacute; percebido que os arguidos - Rosa Grilo e o amante - tinham uma aplica&ccedil;&atilde;o instalada nos telem&oacute;veis que apagava automaticamente as mensagens de WhatsApp que trocavam.&nbsp;<br /><br /> <div style="float: left; margin: 0 20px 20px 0; width: 40%; background-color: #323232; padding: 10px; color: #ffffff;" class="mceNonEditable cofinaEditorEmbeddedContent" data-template-type="Alinhamento &agrave; Esquerda" data-content-field-name="Videos" data-content-type="112214">Advogada de Rosa Grilo: &ldquo;Suscitam-se v&aacute;rias d&uacute;vidas sobre a prova aqui a ser produzida&rdquo;</div> <br />O agente de seguros garantiu que Rosa Grilo tinha conhecimento de todos os seis seguros de vida do atleta, revelando que os valores mensais eram elevados e desmentindo, por isso, a vi&uacute;va. Esclareceu ainda que nunca contrariou nada nem tentou impedir Lu&iacute;s Grilo de fazer os seguros.<br /><br />Rosa Grilo alegava que o marido tinha um esquema de tr&aacute;fico de diamantes com angolanos, no entanto, dois funcion&aacute;rios da empresa de Rosa e Lu&iacute;s, tamb&eacute;m ouvidos esta ter&ccedil;a-feira, desmentiram a vi&uacute;va. Esta afirmou que o marido recebia encomendas provenientes desses neg&oacute;cios e sempre que o mesmo acontecia, Lu&iacute;s ficava nervoso. As testemunhas arroladas no processo negaram tamb&eacute;m que o triatleta recebesse essas mesmas encomendas,&nbsp;sublinhando at&eacute; que era raro ser o triatleta a receber o correio.<br /><br />Estas testemunhas afirmaram ainda que sim, tiveram clientes angolanos, no entanto isso foi em 2008 e nunca foram clientes relevantes.&nbsp;<br /><br />O militar da GNR que isolou o per&iacute;metro onde foi encontrado o telem&oacute;vel tamb&eacute;m foi ouvido durante esta manh&atilde; e revelou que n&atilde;o tocou no aparelho quando encontrado.&nbsp;<br /><br />Quanto ao homem que encontrou o telem&oacute;vel, que foi igualmente ouvido, este assumiu estar a trabalhar quando encontrou o aparelho, confessando ter-lhe tocado com a ponta dos dedos para perceber do que se tratava. Ligou logo ao 112 mal percebeu que era um telem&oacute;vel. A testemunha afirmou ainda que, dado o acompanhamento que feito das not&iacute;cias, rapidamente associou a descoberta ao desaparecimento do triatleta.<br /><br /> <div style="float: left; margin: 0 20px 20px 0; width: 40%; background-color: #323232; padding: 10px; color: #ffffff;" class="mceNonEditable cofinaEditorEmbeddedContent" data-template-type="Alinhamento &agrave; Esquerda" data-content-field-name="Videos" data-content-type="112175">Advogada de Rosa Grilo &agrave; entrada para o tribunal desvaloriza testemunhos da sess&atilde;o anterior</div> <br /><br />Antes do in&iacute;cio do julgamento, cerca das 9h00 desta ter&ccedil;a-feira, a advogada de Rosa Grilo foi confrontada pelos jornalistas sobre as alega&ccedil;&otilde;es das testemunhas da semana passada. T&acirc;nia Reis, sublinhou que nem todos os colegas de Lu&iacute;s Grilo, ouvidos na quinta sess&atilde;o do julgamento, transmitiram a ideia de que Rosa Grilo quis refor&ccedil;ar os seguros de vida do marido.0https://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/rosa-grilo-e-antonio-joaquim-regressam-a-tribunal-para-o-julgamento-da-morte-do-triatletahttps://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/rosa-grilo-e-antonio-joaquim-regressam-a-tribunal-para-o-julgamento-da-morte-do-triatleta//cdn3.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_15_12_23_26_894133.jpg//cdn4.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_08_15_33_12_892049.jpg//cdn5.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_08_15_33_12_892048.jpg//cdn.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_15_16_49_44_894204.jpg108358465Portugal15-10-2019 16:22:57Problemas técnicos levam hidroavião a amarar no rio Minho em CaminhaNo aparelho seguiam dois tripulantes espanhóis. Veja as imagens.Um hidroavi&atilde;o espanhol pousou esta ter&ccedil;a-feira&nbsp;no leito do rio Minho, em Caminha, causando um falso alarme, segundo confirmou ao <strong>CM&nbsp;</strong>o&nbsp;diretor do aer&oacute;dromo do Cerval, Jos&eacute; Gomes, de onde o hidroavi&atilde;o partiu.&nbsp;&nbsp;<br /><br />De acordo com a Pol&iacute;cia Mar&iacute;tima de Caminha, na aeronave, que teve problemas t&eacute;cnicos, seguiam dois ocupantes que se encontram em terra. A manobra n&atilde;o causou feridos. <div style="float: right; margin: 0 0px 20px 20px; width: 40%; background-color: #323232; padding: 10px; color: #ffffff;" class="mceNonEditable cofinaEditorEmbeddedContent" data-template-type="Alinhamento &agrave; Direita" data-content-field-name="Videos" data-content-type="112210">Hidroavi&atilde;o amara no rio Minho em Caminha e assusta locais</div> <br /><br />Segundo o capit&atilde;o do Porto e comandante da Pol&iacute;cia Mar&iacute;tima de Caminha, Pedro Costa, "os dois tripulantes espanh&oacute;is n&atilde;o necessitaram de assist&ecirc;ncia m&eacute;dica".<br /><br />"Foi uma manobra controlada. A avioneta realizou uma amaragem devido a problemas t&eacute;cnicos detetados durante o voo", explicou.<br /><br />Segundo Pedro Costa a "avioneta foi amarada ao Cais da Rua, em Caminha, para tentar resolver os problemas t&eacute;cnicos".<br /><br />Fonte do Comando Distrital de Opera&ccedil;&otilde;es de Socorro (CDOS) de Viana do Castelo o alerta foi dado cerca das 15h53.<br /><br />Ao local compareceram 21 operacionais e sete viaturas dos bombeiros, Pol&iacute;cia Mar&iacute;tima, e meios da C&acirc;mara de Municipal de Caminha.<br /><br /><em><br /></em>0https://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/alerta-cm--aeronave-cai-no-rio-minho-em-caminha-veja-as-imagenshttps://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/alerta-cm--aeronave-cai-no-rio-minho-em-caminha-veja-as-imagens//cdn1.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_15_16_27_36_894195.jpg//cdn2.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_15_16_24_49_894194.jpg//cdn3.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_15_16_22_46_894193.jpg108340257Tv Media15-10-2019 01:30:00Rui Rio e Ana Gomes juntos contra Flor Pedroso após polémica do 'Sexta às 9'Líder do PSD quer saber a razão da suspensão do ?Sexta às 9?, após ver reportagem que deixa Governo em maus lençóis.O&lsquo;Sexta &agrave;s 9&rsquo; continua envolto em pol&eacute;mica. Depois de o regresso do programa de Sandra Felgueiras ter sido adiado de setembro para outubro, por decis&atilde;o de Maria Flor Pedroso, diretora de Informa&ccedil;&atilde;o, este fim de semana Rui Rio partiu para o ataque, via Twitter. <br /><br />"Porque ser&aacute; que o &lsquo;Sexta &agrave;s 9&rsquo; foi suspenso antes das elei&ccedil;&otilde;es, particularmente este programa que s&oacute; p&ocirc;de ser emitido ontem? Pode haver mil raz&otilde;es, mas perante a gravidade do que aqui est&aacute;&hellip;"<br /><br />Nesta rede social, o presidente do PSD teve um inesperado apoio, o de Ana Gomes, ex-eurodeputada do PS. "Tem de se reconhecer que tem raz&atilde;o em perguntar, sr. Rui Rio. As quest&otilde;es levantadas no programa &lsquo;Sexta &agrave;s 9&rsquo;, ontem (dia 13), t&ecirc;m de ser esclarecidas e de ter consequ&ecirc;ncias que decorrerem do indispens&aacute;vel esclarecimento."<br /><br />Toda esta nova pol&eacute;mica surge devido a uma reportagem sobre um contrato de explora&ccedil;&atilde;o de l&iacute;tio em Montalegre assinado, sem estudo de impacte ambiental, entre o Governo e a empresa Lusorecursos Portugal Lithium e que est&aacute; a ser investigada pela Justi&ccedil;a.<br /><br />Ap&oacute;s o &lsquo;Sexta &agrave;s 9&rsquo; ter ido para o ar, Jo&atilde;o Galamba (secret&aacute;rio de Estado de Energia no &uacute;ltimo Governo) disse que o programa "alimenta mentiras". Sandra Felgueiras n&atilde;o o deixou sem resposta: "Tudo o que revelamos s&atilde;o factos. Compreenda o nosso trabalho. Porque ele &eacute; s&eacute;rio. Como s&eacute;rio espero que seja o seu". <br /><br />Contactada pelo<strong> CM</strong>, a dire&ccedil;&atilde;o de Informa&ccedil;&atilde;o da RTP, liderada por Flor Pedroso, desmente a "suspens&atilde;o de qualquer programa sob sua responsabilidade". "Todas as altera&ccedil;&otilde;es foram articuladas com os respons&aacute;veis dos v&aacute;rios programas. Acrescenta-se que qualquer not&iacute;cia que chegue &agrave; reda&ccedil;&atilde;o da RTP &eacute; por n&oacute;s emitida, assim que estiver pronta para ir para o ar."0https://www.cmjornal.pt/tv-media/detalhe/rui-rio-e-ana-gomes-juntos-contra-flor-pedroso-apos-polemica-do-sexta-as-9https://www.cmjornal.pt/tv-media/detalhe/rui-rio-e-ana-gomes-juntos-contra-flor-pedroso-apos-polemica-do-sexta-as-9//cdn4.cmjornal.pt/images/2017-05/img_590x333$2017_05_20_11_30_37_629940_im_637067248537079466.png//cdn5.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_14_22_43_38_893977.jpg//cdn.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_14_22_43_49_893978.jpg//cdn1.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_14_22_44_01_893979.jpg//cdn2.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_14_22_43_27_893975.jpg//cdn3.cmjornal.pt/images/2017-05/img_590x333$2017_05_20_11_30_36_629939.jpg108364055Mundo15-10-2019 19:07:22Idosa é mãe pela primeira vez aos 75 anos Menina nasceu com 30 semanas e apenas 1,5 quilos. Uma idosa de 75 anos deu &agrave; luz uma menina ap&oacute;s engravidar com recurso a fertiliza&ccedil;&atilde;o&nbsp;in vitro. A beb&eacute; nasceu prematura, com 30 semanas, e apenas 1,5 quilos no&nbsp;Kinker Hospital, em Rajasthan, na &Iacute;ndia.<br /><br />De acordo com o <em>Mirror</em>, que cita fonte dos m&eacute;dicos da unidade hospital privada, a gravidez da mulher foi complicada, dado que esta sofria de problemas nos pulm&otilde;es.<br /><br />O parto foi de cesariana, e a menina teve de ficar numa incubadora, devido &agrave; falta de peso.&nbsp;<br /><br />A idosa e o marido, de 80 anos, sonhavam h&aacute; v&aacute;rios anos em ser pais. O casal adotou uma crian&ccedil;a, mas tinha o desejo de ter o pr&oacute;prio filho.&nbsp;<br /><br />A m&atilde;e j&aacute; recebeu alta hospitalar, mas a crian&ccedil;a continua a receber cuidados m&eacute;dicos na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal do hospital.0https://www.cmjornal.pt/mundo/detalhe/idosa-e-mae-pela-primeira-vez-aos-75-anoshttps://www.cmjornal.pt/mundo/detalhe/idosa-e-mae-pela-primeira-vez-aos-75-anos//cdn4.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_14_18_32_19_893899.jpg//cdn5.cmjornal.pt/images/2018-03/img_590x333$2018_03_21_19_25_39_721160_im_637042222492647309.png108348765Portugal15-10-2019 09:14:58Inspetora do SEF detida em megaoperação da PJ estava suspensa desde 2018 Terrenos onde trabalhadores eram laboralmente explorados pertenciam à família Espírito Santo. Uma inspetora do Servi&ccedil;o de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), pelo menos dois elementos da Seguran&ccedil;a Social e o advogado Sabirali Ramen Ali foram detidos durante a manh&atilde; desta ter&ccedil;a-feira no seguimento de uma&nbsp;megaopera&ccedil;&atilde;o da PJ "Rota do Cabo", que est&aacute; a decorrer no &acirc;mbito de um esquema de corrup&ccedil;&atilde;o que envolve documentos falsos de legaliza&ccedil;&atilde;o de imigrantes.<br /><br />A inspetora do SEF, S&oacute;nia Francisco, j&aacute; estava suspensa de fun&ccedil;&otilde;es desde o ano passado, <a href="https://www.sef.pt/pt/pages/noticia-sef.aspx?nID=533" target="_blank" rel="noopener">no &acirc;mbito da opera&ccedil;&atilde;o</a>. A investiga&ccedil;&atilde;o est&aacute; agora a ser&nbsp;<span>conduzida sob a coordena&ccedil;&atilde;o do DIAP de Loures. </span><br /><br />Um dos locais para onde estes trabalhadores eram transportados era para a Herdade da Comporta, recorde-se, terrenos que pertenciam &agrave; fam&iacute;lia Esp&iacute;rito Santo. A maioria destes cidad&atilde;os s&atilde;o Africanos e Nepaleses. Os primeiros, trabalhavam na sua maioria na Constru&ccedil;&atilde;o Civil. Os segundos, na agricultura.<br /><br />Esta situa&ccedil;&atilde;o est&aacute; sinalizada h&aacute; mais de um ano naquela localidade, tendo havido v&aacute;rias opera&ccedil;&otilde;es do SEF junto a estes imigrantes em situa&ccedil;&atilde;o irregular.<br /><br />Os suspeitos, com idades entre os 24 e os 68 anos, v&atilde;o ser esta quarta-feira presentes a juiz no Tribunal de Instru&ccedil;&atilde;o Criminal de Lisboa, segundo avan&ccedil;ou a Pol&iacute;cia Judici&aacute;ria atrav&eacute;s de comunicado.<br /><br /><strong>Eduardo Cabrita confirma suspens&atilde;o de funcion&aacute;ria desde maio de 2018</strong><br />O ministro da Administra&ccedil;&atilde;o Interna, Eduardo Cabrita, confirmou aos jornalistas ao final da manh&atilde; desta quarta-feira, que a inspetora do SEF, S&oacute;nia Francisco, j&aacute; estava suspensa h&aacute; mais de um ano.<br /><br />"A imigra&ccedil;&atilde;o e o tr&aacute;fico de seres humanos &eacute; algo que deve ser combatido e &eacute; uma prioridade do SEF e das pol&iacute;ticas p&uacute;blicas. (...) Quanto &agrave; funcion&aacute;ria do SEF, j&aacute; tinha sido detida e estava suspensa de fun&ccedil;&otilde;es", afirmou Eduardo Cabrita. <br /><br />Questionado pelos jornalistas sobre a imagem da entidade p&uacute;blica ap&oacute;s esta investiga&ccedil;&atilde;o, Cabrita defendeu o Organismo. "O SEF &eacute; a for&ccedil;a que nos aeroportos deteta casos de tr&aacute;fico de crian&ccedil;as. O SEF &eacute; a entidade que salva vidas (...). O SEF &eacute; um motivo de orgulho para Portugal", rematou.<br /><br />O ministro esteve na sede da Prote&ccedil;&atilde;o Civil, em Carnaxide, numa nota de agradecimento a todos os profissionais que combateram os inc&ecirc;ndios de outubro de 2017 e que esta ter&ccedil;a-feira se recorda essa trag&eacute;dia.<br /><br /><strong>Buscas no terreno</strong><br />H&aacute; cerca de 240 inspetores no terreno. As buscas est&atilde;o a decorrer com o intuito de recolher elementos inform&aacute;ticos como prova.&nbsp;Muitos destes nepaleses eram laboralmente explorados, viviam em barrac&otilde;es improvisados e trabalhavam em condi&ccedil;&otilde;es desumanas.<br /><br />Para al&eacute;m da inspetora do SEF, houve mais 20 mandados de deten&ccedil;&atilde;o, com v&aacute;rios funcion&aacute;rios p&uacute;blicos a serem detidos, entre elementos&nbsp;do SEF, Finan&ccedil;as e Seguran&ccedil;a Social.<br /><br />Segundo o que o <strong>CM</strong> conseguiu apurar, a documenta&ccedil;&atilde;o falsa corresponde essencialmente &agrave; legaliza&ccedil;&atilde;o de cidad&atilde;os nepaleses e indianos. Estes imigrantes, que se encontram em situa&ccedil;&atilde;o ilegal, ficam com os passaportes e restante documenta&ccedil;&atilde;o retidos e s&atilde;o obrigados a trabalhar de forma prec&aacute;ria, acabando&nbsp;por cair em quadros de explora&ccedil;&atilde;o laboral e, em alguns casos, tamb&eacute;m em casos de explora&ccedil;&atilde;o sexual.&nbsp;<br /><br />Os cidad&atilde;os que foram detetados sob a condi&ccedil;&atilde;o de falsos contratos de trabalho e, consequentemente, falsos contratos de resid&ecirc;ncia e circula&ccedil;&atilde;o livre no espa&ccedil;o europeu, dever&atilde;o regressar ao Pa&iacute;s de origem.<br /><br />Estes imigrantes foram legalizados com a coniv&ecirc;ncia de elementos de quadros do Estado. Em troca deste favores, estes elementos recebiam o pagamento de comiss&otilde;es. Os suspeitos ser&atilde;o por isso acusados de associa&ccedil;&atilde;o criminosa, corrup&ccedil;&atilde;o, aux&iacute;lio &agrave; imigra&ccedil;&atilde;o ilegal,&nbsp;<span>abuso de poder e prevarica&ccedil;&atilde;o.</span><br /><br />O esquema existia h&aacute; v&aacute;rios anos e estava a ser investigado pela PJ h&aacute; uns meses.&nbsp;O <strong>CM</strong> sabe que a Sede do SEF, bem como o edif&iacute;cio&nbsp;da Dire&ccedil;&atilde;o Regional de Lisboa, n&atilde;o foram alvos de buscas.<br /><br /><em>Em atualiza&ccedil;&atilde;o</em>0https://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/megaoperacao-da-pj-em-curso-20-mandatos-de-detencao-e-inspetora-do-sef-entre-os-detidoshttps://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/megaoperacao-da-pj-em-curso-20-mandatos-de-detencao-e-inspetora-do-sef-entre-os-detidos//cdn.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_15_13_25_00_894159_im_637067427773165425.png//cdn1.cmjornal.pt/images/2018-08/img_590x333$2018_08_27_12_45_28_772602.jpg108354765Portugal15-10-2019 13:58:34Imagens mostram condições precárias do local onde moravam os imigrantes ilegais na ComportaTrabalhadores eram transportados para terrenos que pertenciam à família Espírito Santo.<span><span>V&aacute;rias imagens mostram as condi&ccedil;&otilde;es prec&aacute;rias do local onde moravam os imigrantes ilegais nepaleses na Comporta, na sequ&ecirc;ncia da megaopera&ccedil;&atilde;o "Rota do Cabo", da PJ, que deteve uma inspetora do Servi&ccedil;o de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), pelo menos dois elementos da Seguran&ccedil;a Social e o advogado Sabirali Ramen Ali.&nbsp;<br /><br />Um dos locais para onde estes trabalhadores eram transportados era para a Herdade da Comporta, recorde-se, terrenos que pertenciam &agrave; fam&iacute;lia Esp&iacute;rito Santo. A maioria destes cidad&atilde;os s&atilde;o Africanos e Nepaleses. Os primeiros, trabalhavam na sua maioria na Constru&ccedil;&atilde;o Civil. Os segundos, na agricultura.<br /><br /></span></span> <div style="float: left; margin: 0 20px 20px 0; width: 40%; background-color: #323232; padding: 10px; color: #ffffff;" class="mceNonEditable cofinaEditorEmbeddedContent" data-template-type="Alinhamento &agrave; Esquerda" data-content-field-name="Videos" data-content-type="112206">Imagens mostram condi&ccedil;&otilde;es prec&aacute;rias do local onde moravam os imigrantes ilegais na Comporta</div> <span>A megaopera&ccedil;&atilde;o est&aacute; a decorrer no &acirc;mbito de um esquema de corrup&ccedil;&atilde;o que envolve documentos falsos de legaliza&ccedil;&atilde;o de imigrantes.</span><br /><br /><span>A inspetora do SEF, S&oacute;nia Francisco, j&aacute; estava suspensa de fun&ccedil;&otilde;es desde o ano passado,&nbsp;</span><a href="https://www.sef.pt/pt/pages/noticia-sef.aspx?nID=533" target="_blank" rel="noopener">no &acirc;mbito da opera&ccedil;&atilde;o</a><span>. A investiga&ccedil;&atilde;o est&aacute; agora a ser&nbsp;</span><span>conduzida sob a coordena&ccedil;&atilde;o do DIAP de Loures.</span>0https://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/operacao-rota-do-cabo--imagens-mostram-condicoes-precarias-do-local-onde-moravam-os-imigrantes-ilegais-na-comportahttps://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/operacao-rota-do-cabo--imagens-mostram-condicoes-precarias-do-local-onde-moravam-os-imigrantes-ilegais-na-comporta//cdn2.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_15_13_57_44_894170.jpg//cdn3.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_15_13_57_43_894168.jpg//cdn4.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_15_13_57_43_894169.jpg//cdn5.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_15_13_57_44_894171.jpg1083435132Cm ao Minuto15-10-2019 01:30:00Ex-assessora entre os participantes de 'Casados à Primeira Vista'Marta Rangel já apresentou programas televisivos e tem uma madrinha famosa.0https://www.vidas.pt/redirect-to?token=EiEnOjA%2FNiB3a2JrZGZ3Z2B3ZWBkY2VlamdnZmpgZGJnZWNihttps://www.vidas.pt/redirect-to?token=EiEnOjA%2FNiB3a2JrZGZ3Z2B3ZWBkY2VlamdnZmpgZGJnZWNi//cdn.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_15_00_01_50_894013_im_637067001552360747.png1083443234Famosos15-10-2019 01:30:00Fanny Rodrigues perde 35 quilos com dieta e cirurgiaEx-concorrente da 'Casa dos Segredos' partilha fotografia em lingerie e desafia seguidores: ?Chamem-me agora de 'Popota'.0https://www.vidas.pt/redirect-to?token=EiEnOjA%2FNiB3a2JrZGR3Z2B3ZWBkY2VlamZnZ2ZkY2ZmZWFqhttps://www.vidas.pt/redirect-to?token=EiEnOjA%2FNiB3a2JrZGR3Z2B3ZWBkY2VlamZnZ2ZkY2ZmZWFq//cdn1.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_15_00_16_19_894020.jpg1083441234Famosos15-10-2019 01:30:00Maria Cerqueira Gomes assume imagem mais ousada na ModaLisboaApresentadora da TVI surge com um decote revelador e calções curtos.0https://www.vidas.pt/redirect-to?token=EiEnOjA%2FNiB3a2JrZGV3Z2B3ZWBkY2VlamZjZGRqZWFiY2tghttps://www.vidas.pt/redirect-to?token=EiEnOjA%2FNiB3a2JrZGV3Z2B3ZWBkY2VlamZjZGRqZWFiY2tg//cdn2.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_15_00_11_50_894019.jpg1081919595Família11-10-2019 12:15:57A minha filha sente-se um rapaz. O que posso fazer?O despacho que regulamenta a Lei de Identidade de Género nas escolas gerou controvérsia. Falámos com três pais que contam como aceitaram e ajudaram os filhos transgénero. Maria Augusta desconhecia que, na escola europeia que ent&atilde;o frequentava, na B&eacute;lgica, a filha quase sempre preferia ir &agrave; casa de banho adaptada a deficientes. Tamb&eacute;m n&atilde;o imaginava que a rapariga n&atilde;o se reconhecesse no sexo com que nascera. "Em crian&ccedil;a n&atilde;o se interessava por bonecas, mas tamb&eacute;m n&atilde;o brincava com carrinhos. Gostava muito de ler", conta a m&atilde;e. Foi na puberdade que a m&atilde;e notou pela primeira vez que a filha sentia um desconforto crescente com o seu corpo. "Recusou lidar com a menstrua&ccedil;&atilde;o, era como se n&atilde;o estivesse a acontecer", lembra a m&atilde;e. Tamb&eacute;m n&atilde;o fazia a depila&ccedil;&atilde;o e aos poucos foi recusando vestir saias e vestidos. "Preferia cal&ccedil;&otilde;es e T-shirt. Eu e o pai imagin&aacute;vamos que poderia ser l&eacute;sbica." <br /><br />Na escola, a adolescente &ndash; que entretanto adotou um nome masculino e mudou de g&eacute;nero no cart&atilde;o de cidad&atilde;o &ndash; tinha sido diagnosticada com um quociente de intelig&ecirc;ncia elevado e n&atilde;o tinha muitos amigos. "Era muito introvertido, fechado. Relacionava-se mais com os professores do que com os colegas", descreve a m&atilde;e, que usa o pronome masculino para se referir &agrave; ent&atilde;o filha. "Quando se interessava por um tema era exaustivo e tinha um sentido de humor muito particular. Por isso, era mais apreciado pelos professores do que pelos colegas."<br /><br />A m&atilde;e convencera-se de que o mal-estar da filha se devia a uma tend&ecirc;ncia depressiva e recorreu a uma psiquiatra. Mas, aos 15 anos, ela revelou-lhe o que se passava: sentia que era um rapaz e "tinha muito medo de dececionar os pais". Maria Augusta foi a primeira a saber e ficou em choque. "Felizmente disse logo que o amava incondicionalmente e pedi tempo para perceber melhor o que se estava a passar." Pediu ainda que as consultas &agrave; psiquiatra se mantivessem. <br /><br />A filha tinha a certeza do que sentia e tinha muita pressa em mudar. Queria tomar hormonas para travar a menstrua&ccedil;&atilde;o e j&aacute; usava o binder, uma esp&eacute;cie de cinta que aperta o peito, que tinha comprado online. "Tinha medo que tamb&eacute;m comprasse hormonas na Internet, mas penso que ele tinha consci&ecirc;ncia de que era importante ser acompanhado por um m&eacute;dico." Quis logo mudar de nome. "Foi muito querido. Trouxe uma lista de nomes para escolhermos juntos um. Tentei [usar o novo nome] desde o in&iacute;cio, mas n&atilde;o foi f&aacute;cil depois de 15 anos a chamar por outro. Falhei algumas vezes."<br /><br />Na escola, exigiu que colegas e professores fizessem o mesmo. "Foi muito corajoso. Assumiu-se no Facebook e ningu&eacute;m questionou. Os professores protegiam-no, mas ele tem um car&aacute;ter afirmativo, n&atilde;o se via como v&iacute;tima e n&atilde;o foi alvo de bullying." No baile de finalistas da escola, em vez do vestido longo, foi de fato. "Houve olhares, mas ningu&eacute;m o confrontou." Os quatro amigos que tinha aceitaram-no. <br /><br />S&oacute; quis contar ao pai &ndash; separado da m&atilde;e desde que ele tinha 12 anos - aos 18 anos, quando a psiquiatra autorizou os tratamentos. "O pai chorou. Afinal, t&iacute;nhamos os dois ficado muito contentes quando soubemos que &iacute;amos ter uma menina", recorda Maria Augusta. Mas reagiu bem. Tal como a av&oacute; materna, que come&ccedil;ou por perguntar por que raz&atilde;o a neta n&atilde;o usava um vestido. "Expliquei-lhe com todo o carinho que nos adolescentes transg&eacute;nero a taxa de suic&iacute;dio ronda os 50% e que eu queria que aquela pessoa que nasceu de mim &ndash; quer seja filho ou filha &ndash; fosse feliz e nunca chegasse a esse ponto de infelicidade. Ela compreendeu e disse logo que t&iacute;nhamos de o ajudar."<br /><br /><strong>Cirurgia e congelar &oacute;vulos</strong> <br />A primeira vez que marcaram consulta num hospital da zona onde viviam, franc&oacute;fona, n&atilde;o correu bem. "S&atilde;o mais conservadores e parece que tentaram adiar o processo. Desmarcavam consultas com pouca anteced&ecirc;ncia, queriam que ele fizesse uma terapia para ter mais atitudes masculinas." Foi por isso que mudaram para um hospital na parte flamenga do pa&iacute;s, com uma unidade espec&iacute;fica para transexuais. Aos 20 anos, o jovem iniciou a transi&ccedil;&atilde;o a n&iacute;vel cir&uacute;rgico. "O hospital congela alguns &oacute;vulos durante uns anos, caso ele decida ser pai."<br /><br />Quando entrou na faculdade, em Inglaterra, e apesar de ainda n&atilde;o ter alterado o registo civil, o nome masculino foi aceite &ndash; e foi o que apareceu no diploma em Hist&oacute;ria. Agora com 25 anos e um mestrado em Guionismo, fala quatro l&iacute;nguas, j&aacute; viu pe&ccedil;as suas encenadas e est&aacute; a estudar para ser int&eacute;rprete. "Costumo dizer aos pais que nos pedem ajuda na AMPLOS [grupo de pais de jovens LGBTI] que o meu filho mudou de g&eacute;nero, mas &eacute; a mesma pessoa."<br /><br />Sobre a pol&eacute;mica levantada pela regulamenta&ccedil;&atilde;o da Lei da Identidade de G&eacute;nero e que pede &agrave;s escolas que garantam "que a crian&ccedil;a ou jovem, no exerc&iacute;cio dos seus direitos, aceda &agrave;s casas de banho e balne&aacute;rios, tendo sempre em considera&ccedil;&atilde;o a sua vontade expressa e assegurando a sua intimidade e singularidade", Maria Augusta considera ser sobretudo uma quest&atilde;o de privacidade. "Tenho um sobrinho-neto com 2 anos que se esconde quando est&aacute; a fazer coc&oacute; na fralda porque quer privacidade. A lei &eacute; essencial para isso mesmo, para preservar a privacidade de todas as pessoas."<br /><br /><strong>Evitar casas de banho p&uacute;blicas</strong><br />Sandra Monteiro soube que a filha era diferente desde que ela era pequena. Mas s&oacute; aos 15 anos e depois de uma depress&atilde;o grave, com um epis&oacute;dio de automutila&ccedil;&atilde;o, &eacute; que a rapariga conseguiu verbalizar o que sentia. "Disse-me que n&atilde;o gostava das suas mamas e que queria ser rapaz." S&oacute; nessa altura percebeu que T&acirc;nia evitava as casas de banho da escola e aguentava o dia todo at&eacute; chegar a casa. "Chegava a casa sempre aflito, n&atilde;o sei como nunca teve um problema de sa&uacute;de."<br /><br />H&aacute; muito que no roupeiro da filha abundavam os cal&ccedil;&otilde;es e as T-shirts. Aos 6 anos, a menina rejeitava as saias e fugia sempre da sec&ccedil;&atilde;o feminina para a masculina das lojas de roupa. "N&oacute;s n&atilde;o entend&iacute;amos, mas demos-lhe a liberdade para ela se vestir como queria", conta. Tamb&eacute;m nas brincadeiras preferia jogar &agrave; bola com os meninos e no Carnaval queria mascarar-se de pirata e Homem-Aranha. "Quando brincava com os amigos aos pais e m&atilde;es, era sempre o pai e quando imitava personagens de s&eacute;ries de anima&ccedil;&atilde;o com o irm&atilde;o mais novo escolhia sempre personagens masculinas."<br /><br />Na praia, n&atilde;o queria vestir biqu&iacute;ni e ficava no areal de cal&ccedil;&otilde;es e T-shirt. Aos 14 anos, o peito cresceu e para o dissimular usava dois soutiens desportivos dois n&uacute;meros abaixo. "H&aacute; crian&ccedil;as que n&atilde;o gostam de alguma parte do corpo. Pensei que fosse isso." Um dia, a m&atilde;e mostrou-lhe um reality show sobre a vida de uma rapariga trans. "Perguntei-lhe se era assim que ela se sentia, mas respondeu-me que n&atilde;o."<br /><br />Na escola, apesar do nome feminino, os amigos quase j&aacute; o viam como um rapaz. Ainda que houvesse epis&oacute;dios constrangedores. "Um dia uma amiga perguntou a outra se achava que ele era menino ou menina." O pior foi quando mudou de turma, no 10&ordm; ano. "Saiu da &aacute;rea de conforto dele e foi quando a depress&atilde;o se agravou." <br /><br />Foi com a ajuda de uma psic&oacute;loga que o adolescente assumiu o que sentia. "Perguntei-lhe muitas vezes porque n&atilde;o me tinha dito mais cedo. Disse que tinha medo de me magoar." Pouco depois, recorreram ao centro de sa&uacute;de para perceber como poderiam iniciar a transi&ccedil;&atilde;o, mas a m&eacute;dica de fam&iacute;lia teve receio de decidir e enviou-o para uma consulta hospitalar de sexologia. A primeira coisa que o m&eacute;dico receitou foi uma p&iacute;lula que eliminou a menstrua&ccedil;&atilde;o.<br /><br />O pr&oacute;ximo passo foi mudar de nome. Escolheu Jaime, e na escola, no Porto, a transi&ccedil;&atilde;o correu sem problemas. "Informei a diretora de turma do 11&ordm; ano que ele estava em transi&ccedil;&atilde;o e que agora se chamava Jaime. Ela informou os outros professores e ningu&eacute;m contestou", conta Sandra Monteiro. <br /><br />No ano seguinte, a pauta ainda tinha o nome feminino e Jaime entre par&ecirc;ntesis. Os colegas n&atilde;o deram grande import&acirc;ncia. "Estava &agrave; espera que algum deles fizesse um coment&aacute;rio. Mas os jovens t&ecirc;m uma mente mais aberta." O novo nome foi oficializado em setembro de 2018. "Houve um atraso no envio do Cart&atilde;o de Cidad&atilde;o, mas ligaram para Lisboa e com o comprovativo foi poss&iacute;vel mudar o nome na escola."<br /><br />Para o irm&atilde;o, cinco anos mais novo, a &uacute;nica dificuldade foi o novo nome. "Expliquei-lhe que o Jaime queria ser como ele e foi f&aacute;cil, desde pequeno que o desenhava sempre como rapaz." Numa visita ao dentista, foi o irm&atilde;o a corrigir o m&eacute;dico quando este lhe perguntou pela irm&atilde;. "Disse-lhe que agora tinha um irm&atilde;o e que se chamava Jaime." N&atilde;o foi t&atilde;o simples para o pai. "Ele nunca gostou que ela jogasse &agrave; bola e que n&atilde;o fizesse a depila&ccedil;&atilde;o. Penso que tinha medo do estigma social." Mas assim que a av&oacute; paterna aceitou o neto, o pai assumiu a mudan&ccedil;a. E houve quem reagisse com al&iacute;vio, como uma tia que disse ter "finalmente uma resposta para ele se vestir de rapaz."<br /><br />Em junho, e como ainda n&atilde;o tinha 18 anos, Jaime fez uma mastectomia num hospital privado &ndash; os pais queriam que gozasse o mais poss&iacute;vel da adolesc&ecirc;ncia que lhe restava. Houve quem procurasse uma explica&ccedil;&atilde;o para a diferen&ccedil;a entre a identidade de g&eacute;nero e o sexo de Jaime, mas Sandra n&atilde;o perdeu tempo &agrave; procura de respostas. "N&atilde;o interessa se recebeu testosterona a mais ou n&atilde;o. Porque hei de massacrar-me se ele o &eacute;. &Eacute;, ponto final. Ver o sorriso rasgado dele quando saiu da cirurgia vale tudo, faz com que eu v&aacute; contra tudo e todos."<br /><br /><strong>Rejeitados pela sociedade</strong><br />Ant&oacute;nio Ferreira, tal como Sandra, sabia que o filho era diferente, especial. S&oacute; n&atilde;o sabia bem em qu&ecirc;. Ele brincava s&oacute; com raparigas, gostava de m&uacute;sica, artes e dedicava-se muito aos estudos. "At&eacute; aos 20 anos pens&aacute;vamos que era homossexual." Vestia-se de forma exuberante, muito diferente dos outros e foi v&iacute;tima de bullying. "Uma vez, na aula de Educa&ccedil;&atilde;o F&iacute;sica esconderam-lhe as sapatilhas e os mi&uacute;dos foram obrigados a contar onde estavam."<br /><br />O mal-estar resolveu-se quando no 10&ordm; ano foi para uma escola de artes. "Desenhava muito bem vestidos e ali sentiu-se integrado." Terminou o curso de Artes e come&ccedil;ou a fazer performances como atriz. "Sa&iacute;a de casa com as unhas pintadas e de saias. Ach&aacute;vamos estranho, mas n&atilde;o h&aacute; um manual para isto."<br /><br />Os pais ficaram mais atentos, mas nunca confrontaram o filho. "Esper&aacute;mos que fosse ela a falar connosco. Quando cas&aacute;mos decidimos que as nossas filhas &ndash; temos outra mais nova &ndash; seriam o que quisessem tanto em termos de orienta&ccedil;&atilde;o sexual como profissionalmente."<br /><br />O pai j&aacute; andava desconfiado. "Via-o chegar a casa com livros sobre temas trans e queer. Fiquei intrigado e fui informar-me atrav&eacute;s da Internet." Entretanto, o jovem foi estudar para Lisboa e as fotos que publicava no Facebook, maquilhado e com roupas femininas, alarmavam ainda mais os pais. Questionado, o jovem respondia que ningu&eacute;m tinha nada a ver com o que ele queria vestir.<br /><br />Com o tempo Ant&oacute;nio Ferreira percebeu que sempre que vinha a casa, o filho n&atilde;o vinha feliz. Passava os dias fechado no quarto. "Foi a&iacute; que tivemos de dar o salto. A nossa casa tinha de ser um porto de abrigo para a nossa filha."<br /><br />Um dia, uma professora falou com os pais e revelou que o filho tinha muito medo de desiludir os pais. Aos 20 anos falou com a m&atilde;e. "Foi no Natal de 2017, chegou a casa e disse que n&atilde;o se sentia com o corpo que queria e que queria ser tratada como mulher." Tinha escolhido um nome feminino. A irm&atilde; mais nova, de 17 anos, assumiu logo o novo nome e os primos, mais pequenos, n&atilde;o questionaram. Pouco depois, iniciou o tratamento hormonal e j&aacute; tem peito. Tamb&eacute;m tem todos os documentos necess&aacute;rios para fazer a cirurgia de mudan&ccedil;a de sexo. "Pensou em faz&ecirc;-la neste m&ecirc;s, mas por agora sente-se confort&aacute;vel como est&aacute;."0https://www.cmjornal.pt/viver-com-saude/familia/detalhe/a-minha-filha-sente-se-um-rapaz-o-que-posso-fazerhttps://www.cmjornal.pt/viver-com-saude/familia/detalhe/a-minha-filha-sente-se-um-rapaz-o-que-posso-fazer//cdn3.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_09_17_43_51_892500.jpg108357655Mundo15-10-2019 16:11:57Pedófilo autor de música do "Joker" não vai receber dinheiro do filmeGary Glitter, a cumprir pena de 16 anos de prisão por abuso sexual de menores.Gary Glitter, a cumprir pena de 16 anos de pris&atilde;o por abuso sexual de menores, &eacute; o compositor da m&uacute;sica "The Hey Song", utilizada nas &uacute;ltimas cenas do filme "Joker". <br /><br />Dada a popularidade que o filme ganhou desde a data da estreia, a utiliza&ccedil;&atilde;o desta m&uacute;sica gerou uma onda de contesta&ccedil;&atilde;o. Na Internet surgiram alguns rumores de que Glitter poderia receber uma quantia elevada de dinheiro pela utiliza&ccedil;&atilde;o da m&uacute;sica. Todavia, em declara&ccedil;&otilde;es ao LA Times, a editora Snapper Musica (uma das detentoras do report&oacute;rio de Glitter) esclareceu que ex-estrela de rock dos anos 70 n&atilde;o iria receber nada.&nbsp;<br /><br />Tamb&eacute;m a editora de m&uacute;sica Universal Musica Publishing Group, respons&aacute;vel pelos direitos de autor das m&uacute;sicas do filme, garantiu que "n&atilde;o lhe vai pagar 'royalties'" a Gary Glitter.&nbsp;&nbsp;<br /><br />O filme "Joker" protagonizado pelo ator Joaquin Phoenix tem batido recordes. A obra da autoria de Todd Philips j&aacute; levou mais de 155 espetadores &agrave;s salas de cinema, rendendo quase 900 mil euros em bilheteiras. S&oacute; nos Estados Unidos, na noite de estreia, o filme rendeu 12,1 milh&otilde;es de euros.0https://www.cmjornal.pt/mundo/detalhe/pedofilo-condenado-autor-de-musica-utilizada-no-filme-jokerhttps://www.cmjornal.pt/mundo/detalhe/pedofilo-condenado-autor-de-musica-utilizada-no-filme-joker//cdn4.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_02_21_55_09_890312.jpg//cdn5.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_03_12_23_32_890487.jpg//cdn.cmjornal.pt/images/2019-01/img_590x333$2019_01_19_00_26_21_814229.jpg108357055Mundo15-10-2019 15:25:03Tsunami Democrático: A aplicação que avisa manifestantes independentistas da localização da políciaApp recolhe informações do utilizador como a localização, acede ao microfone, ao armazenamento e à câmera. <p class="ue-c-article--first-letter-highlighted"><span>As ruas de Barcelona viram-se esta segunta e ter&ccedil;a-feira inundadas de manifestantes que exigem a independ&ecirc;ncia da Catalunha ap&oacute;s a deten&ccedil;&atilde;o de&nbsp;12 l&iacute;deres separatistas catal&atilde;es. As deten&ccedil;&otilde;es provocaram uma onda de revolta nas ruas e milhares de manifestantes&nbsp;bloquearam o aeroporto El Prat de Barcelona.&nbsp;<br /><br />Mais de uma centena de voos foram cancelados e mesmo com a forte carga policial, os manifestantes bloquearam os acessos ao aeroporto, deixando centenas de passageiros sem transportes para o centro da cidade.<br /><br />Mas de que forma se organizaram estes milhares de manifestantes?&nbsp;Ap&oacute;s a publica&ccedil;&atilde;o da senten&ccedil;a do processo esta segunda-feira, uma organiza&ccedil;&atilde;o an&oacute;nima conhecida como&nbsp;</span>Tsunami Democr&aacute;tico desenvolveu uma aplica&ccedil;&atilde;o para&nbsp;<span>coordenar os protestos nas ruas.&nbsp;<br /><br />A app foi divulgada atrav&eacute;s das redes sociais como Twitter, Instagram e canal Telegram, um servi&ccedil;o de mensagens instant&acirc;neas baseado na nuvem.&nbsp;<br /><br />Este aplicativo s&oacute; &eacute; utilizado por quem &eacute; convidado, de modo a&nbsp;</span><span>evitar a presen&ccedil;a de agentes infiltrados, e avisa o utilizador da localiza&ccedil;&atilde;o da pol&iacute;cia nas &aacute;reas em que uma determinada a&ccedil;&atilde;o est&aacute; a decorrer. O Tsunami Democr&aacute;tico disponibiliza ainda os locais onde as a&ccedil;&otilde;es de protesto est&atilde;o ou ir&atilde;o decorrer - podendo o utilizador inscrever-se na mesma - e serve ainda para o movimento independentista se equipar com carros e cami&otilde;es. Desta forma, toda a log&iacute;stica necess&aacute;ria para realizar os protestos &eacute; canalizada num &uacute;nico canal e organizada ao pormenor. A app recolhe ainda informa&ccedil;&otilde;es do utilizador como a localiza&ccedil;&atilde;o, acede ao microfone, ao armazenamento e &agrave; c&acirc;mera.<br /><br />O Tsunami Democr&aacute;tico &eacute; ainda at&iacute;pico por n&atilde;o estar dispon&iacute;vel&nbsp;</span>na Apple Store ou no Android<span>.&nbsp;Para fazer o download, &eacute; necess&aacute;rio aceder ao reposit&oacute;rio do GitHub (uma plataforma que alberga c&oacute;digo-fonte). <br /><br />Os criadores desta plataforma definem-na como&nbsp;</span>"uma plataforma para a coordena&ccedil;&atilde;o de a&ccedil;&otilde;es pac&iacute;ficas de desobedi&ecirc;ncia civil".</p> <p></p>0https://www.cmjornal.pt/mundo/detalhe/tsunami-democratico-a-aplicacao-que-avisa-manifestantes-independentistas-da-localizacao-da-policiahttps://www.cmjornal.pt/mundo/detalhe/tsunami-democratico-a-aplicacao-que-avisa-manifestantes-independentistas-da-localizacao-da-policia//cdn1.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_15_14_17_33_894177.jpg//cdn2.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_15_14_17_33_894176.jpg//cdn3.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_15_14_15_43_894175.jpg//cdn4.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_15_12_22_54_894130.jpg108357255Mundo15-10-2019 15:38:29Pelo menos um morto em desabamento de prédio de sete andares em FortalezaPelo menos dez pessoas ficaram sob os escombros.Pelo menos uma pessoa morreu e v&aacute;rias ficaram feridas na sequ&ecirc;ncia do desabamento de um pr&eacute;dio habitacional de sete andares, em Fortaleza, Cear&aacute;, Brasil.<br /><br />A informa&ccedil;&atilde;o est&aacute; a ser avan&ccedil;ada pela <em>Globo</em>, que d&aacute; conta do desaparecimento de v&aacute;rias pessoas.&nbsp;<br /><br />Segundo fonte dos bombeiros, citada pelo portal de not&iacute;cias <em>GI</em>, "uma morte havia sido confirmada e tr&ecirc;s pessoas haviam sido resgatadas com vida, mas o total de v&iacute;timas n&atilde;o tinha sido contabilizado".<br /><br />Bombeiros e v&aacute;rias ambul&acirc;ncias est&atilde;o em frente ao pr&eacute;dio que ruiu, no bairro Dion&iacute;sio Torres, uma regi&atilde;o da classe m&eacute;dia de Fortaleza.<br /><br />Os bombeiros confirmaram que poderia haver entre 10 ou 15 pessoas presas nos destro&ccedil;os, algumas das quais conseguiram entrar em contacto com as for&ccedil;as de resgate.<br /><br />Segundo testemunhas, o pr&eacute;dio, que desabou por volta das 10:30 da manh&atilde; (14:30 Lisboa), estaria ocupado por v&aacute;rias pessoas no momento do colapso, cujas causas est&atilde;o a ser investigadas.<br /><br />Vizinhos e parentes dos moradores aproximaram-se do local do acidente &agrave; procura de informa&ccedil;&otilde;es.&nbsp;<br /><br />Ap&oacute;s o desabamento do edif&iacute;cio, foram v&aacute;rios os relatos de habitantes da cidade, que registaram o momento ap&oacute;s a trag&eacute;dia, na Rua Tib&uacute;rcio Cavalcante.<br /><br />Em abril deste ano, o colapso de dois edif&iacute;cios numa &aacute;rea perif&eacute;rica do Rio de Janeiro provocou uma d&uacute;zia de mortos e exp&ocirc;s o problema de edif&iacute;cios ilegais no Brasil.<br /><br />As propriedades foram constru&iacute;das irregularmente numa &aacute;rea de dif&iacute;cil acesso no bairro de Muzema, na parte oeste do Rio de Janeiro, e controladas por mil&iacute;cias (grupos formados por policias e ex-agentes da pol&iacute;cia).<br /><br /><br /> <blockquote class="twitter-tweet"> <p lang="pt" dir="ltr">Pr&eacute;dio desabou nesse momento na Tiburcio Cavalcanti <a href="https://twitter.com/hashtag/Fortaleza?src=hash&amp;ref_src=twsrc%5Etfw" target="_blank" rel="noopener">#Fortaleza</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/Oremos?src=hash&amp;ref_src=twsrc%5Etfw" target="_blank" rel="noopener">#Oremos</a> <a href="https://t.co/tEl8jcF1Po" target="_blank" rel="noopener">pic.twitter.com/tEl8jcF1Po</a></p> &mdash; Miqueias Maciel (@miqueiasnmaciel) <a href="https://twitter.com/miqueiasnmaciel/status/1184110930340302848?ref_src=twsrc%5Etfw" target="_blank" rel="noopener">October 15, 2019</a><br /><br /><em>Em atualiza&ccedil;&atilde;o</em></blockquote> <span> <script src="https://platform.twitter.com/widgets.js" async=""></script> </span>0https://www.cmjornal.pt/mundo/detalhe/predio-de-sete-andares-habitado-desaba-em-fortaleza-ainda-nao-ha-registo-de-feridoshttps://www.cmjornal.pt/mundo/detalhe/predio-de-sete-andares-habitado-desaba-em-fortaleza-ainda-nao-ha-registo-de-feridos//cdn5.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_15_15_41_28_894188.jpg108353055Mundo15-10-2019 12:31:21Cientista da NASA diz ter encontrado vida em Marte em 1976 mas descoberta foi ignoradaGilbert V. Levin esteve na missão Viking a Marte em 1976 e garante que os resultados foram ignorados pela comunidade científica. Se a descoberta de vida em Marte &eacute; apontada como uma meta muito importante da esp&eacute;cie humana, h&aacute; um cientista que afirma que esta j&aacute; foi atingida h&aacute; 43 anos.&nbsp;Gilbert V. Levin, antigo cientista e astronauta da NASA, afirmou num artigo de opini&atilde;o que durante uma miss&atilde;o nos anos 70, na qual o pr&oacute;prio participou, foram encontradas formas de vida em Marte, que foram depois ignorados pela ag&ecirc;ncia espacial norte-americana.&nbsp;<br /><br />O artigo, com o nome "Estou Convencido que Encontr&aacute;mos Provas de Vida em Marte nos anos 70", foi publicado no blog da revista cient&iacute;fica Scientific American, e conta a hist&oacute;ria de como esta amostra recolhida foi analisada quatro vezes, tendo dado sempre resultado positivo, mas a NASA concluiu que o organismo era apenas capaz de "imitar vida", n&atilde;o tendo vida em si.&nbsp;<br /><br />"Inexplicavelmente, 43 anos depois da Viking, nenhum dos subsequentes exploradores de Marte fez testes de dete&ccedil;&atilde;o de vida para dar seguimento a estes resultados", aponta Levin no seu artigo. "Em vez disso a ag&ecirc;ncia lan&ccedil;ou miss&otilde;es para determinar se Marte seria um habitat prop&iacute;cio para o desenvolvimento de vida, e se sim, para recolher amostrar para exame biol&oacute;gico na Terra."&nbsp;<br /><br />Segundo o cientista, estes dados deveriam voltar a ser vistos por um painel de especialistas, em conjunto com cerca de 20 outras descobertas que podem ser a chave para perceber se h&aacute; ou n&atilde;o vida em Marte.0https://www.cmjornal.pt/mundo/detalhe/cientista-da-nasa-diz-ter-encontrado-vida-em-marte-em-1976-mas-descoberta-foi-ignoradahttps://www.cmjornal.pt/mundo/detalhe/cientista-da-nasa-diz-ter-encontrado-vida-em-marte-em-1976-mas-descoberta-foi-ignorada//cdn.cmjornal.pt/images/2019-06/img_590x333$2019_06_24_10_40_25_863344.jpg//cdn1.cmjornal.pt/images/2019-06/img_590x333$2019_06_24_10_40_26_863345.jpg108357458Cultura15-10-2019 15:48:09Elton John e o vício da droga: "A cocaína deixava-me excitado""Me" é uma autobiografia escrita pelo músico e lançada esta terça-feira. O m&uacute;sico Elton John escreveu a sua primeira autobiografia que &eacute; lan&ccedil;ada esta ter&ccedil;a-feira. "Me" &eacute; o nome do seu novo trabalho, no qual aborda o seu passado, nomeadamente com drogas.<br /><br />Segundo avan&ccedil;a o jornal <em>Mirror</em>, o cantor fala sobre o uso da coca&iacute;na e os momentos mais tensos do v&iacute;cio, bem como a sua reabilita&ccedil;&atilde;o.&nbsp;<br /><br />"A coca&iacute;na deixava-me excitado. Era afrodis&iacute;aco. Por outro lado, n&atilde;o me deixava tocar. N&atilde;o conseguia fazer nada sem usar a coca&iacute;na. Acho que foi por isso que n&atilde;o contra&iacute; HIV nos anos 80. N&atilde;o ligava muito a sexo, s&oacute; &agrave; droga. Quase me matou, mas tamb&eacute;m me salvou, de certa forma", disse o cantor, que diz ter ficado nove meses sem tocar em droga.<br /><br />"Cheguei a ter convuls&otilde;es durante a noite. As pessoas encontravam-me no ch&atilde;o e colocavam-me na cama. Depois experimentava mais coca&iacute;na. Era um horror", continuou Elton John.&nbsp;<br /><br />"Era muito complicado ficar s&oacute;brio, mas trabalhei muito duro. Acordava &agrave;s 6h00 da manh&atilde;, partilhava quarto, arrumava a cama, trabalhava numa lavandaria, mas n&atilde;o sabia bem o que andava a fazer", sublinhou o m&uacute;sico.<br /><br /><strong>"O meu pai odiava o facto de eu ser uma estrela de rock"<br /></strong>Em entrevista &agrave; r&aacute;dio americana<em> NPR</em>, o artista de 72 anos falou tamb&eacute;m sobre a sua carreira musical e a fam&iacute;lia, confessando que o seu pai "odiava" o facto de ser uma estrela de rock.<br /><br />"E eu odiava a forma como eu tratava as pessoas, como me comportava. Odiei aquilo em que me tornei", admitiu.0https://www.cmjornal.pt/cultura/detalhe/elton-john-e-o-vicio-da-droga-a-cocaina-deixava-me-excitadohttps://www.cmjornal.pt/cultura/detalhe/elton-john-e-o-vicio-da-droga-a-cocaina-deixava-me-excitado//cdn2.cmjornal.pt/images/2017-04/img_590x333$2017_04_25_10_07_50_621514.jpg//cdn3.cmjornal.pt/images/2016-12/img_590x333$2016_12_12_01_09_03_582239.jpg//cdn4.cmjornal.pt/images/2016-12/img_590x333$2016_12_12_10_50_29_582268.jpg//cdn5.cmjornal.pt/images/2016-12/img_590x333$2016_12_12_10_50_31_582270.jpg108353955Mundo15-10-2019 13:09:45Mulher que caiu de varanda a praticar ioga partiu 110 ossos: "Os médicos estão chocados"Jovem de 23 anos passou 11 horas no bloco operatório. Caso aconteceu em San Pedro, no México.Uma jovem de 23 anos que caiu de uma varanda em San Pedro, no M&eacute;xico, depois de praticar ioga numa varanda, partiu 110 ossos e passou 11 horas no bloco operat&oacute;rio. Agora, cerca de dois meses depois, diz estar a recuperar "rapidamente".<br /><br />Segundo avan&ccedil;a a <em>Fox News</em>, a mulher, Alex Terrazas, foi fotografada a praticar ioga pendurada de cabe&ccedil;a para baixo, com os joelhos dobrados. Ao perder o equil&iacute;brio, a v&iacute;tima acabou por cair.<br /><br />Apesar dos ferimentos graves que sofreu, v&aacute;rias melhorias na sua sa&uacute;de foram registadas.&nbsp;<br /><br />"Quero agradecer muito &agrave;s pessoas, pelas boas vibra&ccedil;&otilde;es. At&eacute; os m&eacute;dicos est&atilde;o chocados e n&atilde;o acreditam o que meu corpo est&aacute; a reagir t&atilde;o bem", confessou a mulher, segundo uma ag&ecirc;ncia noticiosa mexicana.<br /><br />A v&iacute;tima fez recentemente uma cirurgia a um dos cotovelos para ajudar na mobilidade das m&atilde;os e dos bra&ccedil;os. Est&aacute; tamb&eacute;m a receber tratamento de fisioterapia de forma di&aacute;ria.0https://www.cmjornal.pt/mundo/detalhe/mulher-que-caiu-de-varanda-a-praticar-ioga-partiu-110-ossos-os-medicos-estao-chocadoshttps://www.cmjornal.pt/mundo/detalhe/mulher-que-caiu-de-varanda-a-praticar-ioga-partiu-110-ossos-os-medicos-estao-chocados//cdn.cmjornal.pt/images/2019-08/img_590x333$2019_08_27_12_05_03_880049.jpg108356555Mundo15-10-2019 18:00:38Polícia espanhola desmantela organização de contrafação de notas e faz oito detençõesOperação decorreu no bairro de Lavapíes, em Madrid, Espanha.<p>A pol&iacute;cia espanhola desmantelou no bairro de Lavap&iacute;es, em Madrid, uma organiza&ccedil;&atilde;o dedicada &agrave; distribui&ccedil;&atilde;o de notas falsas de 50 euros em todo o pa&iacute;s. A opera&ccedil;&atilde;o realizada em colabora&ccedil;&atilde;o com a Europol levou &agrave; deten&ccedil;&atilde;o de oito pessoas.</p> <p>As investiga&ccedil;&otilde;es tiveram in&iacute;cio em mar&ccedil;o quando as autoridades descobriram que um cidad&atilde;o senegal&ecirc;s estava envolvido na venda de dinheiro falso e drogas, relata o jornal espanhol <em>La Vanguardia.</em></p> <p>No in&iacute;cio de agosto, como resultado da investiga&ccedil;&atilde;o, os agentes identificaram v&aacute;rios membros da organiza&ccedil;&atilde;o e apreenderam um pacote enviado de It&aacute;lia com destino ao l&iacute;der do grupo, que continha 15 mil euros em notas falsas de 50 euros. &nbsp;</p> <p>O objetivo da organiza&ccedil;&atilde;o era distribuir o dinheiro em Madrid e Barcelona, onde os membros tinham pessoas destinadas a introduzir as notas nos estabelecimentos de com&eacute;rcio.</p> <p>Ap&oacute;s a descoberta, as autoridades realizaram quatro buscas domiciliares simult&acirc;neas que culminaram na deten&ccedil;&atilde;o do chefe da organiza&ccedil;&atilde;o e outros sete membros.</p> <p>Alguns dos detidos tinham antecedentes criminais e acabaram por ser julgados pelo Tribunal de Instru&ccedil;&atilde;o de Alcal&aacute; de Henares por crimes de falsifica&ccedil;&atilde;o de moeda e contra a sa&uacute;de p&uacute;blica.</p>0https://www.cmjornal.pt/mundo/detalhe/policia-espanhola-desmantela-organizacao-de-contrafacao-de-notas-e-faz-oito-detencoeshttps://www.cmjornal.pt/mundo/detalhe/policia-espanhola-desmantela-organizacao-de-contrafacao-de-notas-e-faz-oito-detencoes//cdn1.cmjornal.pt/images/2019-09/img_590x333$2019_09_10_01_17_01_883957.jpg//cdn2.cmjornal.pt/images/2019-09/img_590x333$2019_09_10_01_17_01_883956.jpg//cdn3.cmjornal.pt/images/2019-09/img_590x333$2019_09_10_01_17_03_883961.jpg108356455Mundo15-10-2019 15:04:51UE faz ultimato a Johnson e dá até à meia-noite para ceder no BrexitBruxelas definiu como prazo limite para Londres conceder às exigências europeias relativas à criação de uma fronteira aduaneira no Mar da Irlanda, caso contrário ficará sem efeito a possibilidade de ser alcançado um acordo de saída.<p>As demonstra&ccedil;&otilde;es de otimismo dos &uacute;ltimos dias quanto &agrave;s possibilidades de ser alcan&ccedil;ado um acordo de sa&iacute;da entre o Reino Unido e a Uni&atilde;o Europeia t&ecirc;m, nesta ter&ccedil;a-feira, 15 de outubro, um teste potencialmente decisivo.&nbsp;<br /><br />Michel Barnier, chefe da miss&atilde;o negocial europeia para o processo do Brexit, estabeleceu at&eacute; &agrave; meia-noite desta ter&ccedil;a-feira como o prazo-limite para o Reino Unido fazer as ced&ecirc;ncias necess&aacute;rias &agrave;s exig&ecirc;ncias comunit&aacute;rias por forma a tornar poss&iacute;vel um compromisso entre as partes, designadamente aceitar que seja criada uma fronteira aduaneira no Mar da Irlanda, o que evitaria a cria&ccedil;&atilde;o de uma fronteira f&iacute;sica terrestre entre as duas Irlandas e manteria a Irlanda do Norte no mercado &uacute;nico europeu.</p> <p>A Uni&atilde;o Europeia insiste na necessidade de um mecanismo de salvaguarda para evitar controlos r&iacute;gidos na fronteira irlandesa &ndash; o chamado backstop &ndash;, na manuten&ccedil;&atilde;o da Irlanda do Norte no mercado &uacute;nico, isto al&eacute;m da fronteira aduaneira no Mar irland&ecirc;s, sendo que esta ideia foi rejeitada pelo governo brit&acirc;nico ent&atilde;o liderado por Theresa May. O plano alternativo para o Brexit apresentado por Johnson, e prontamente considerado insuficiente por Bruxelas, n&atilde;o contempla o backstop e retira a Irlanda do Norte do mercado &uacute;nico.</p> <p>Caso contr&aacute;rio, avisou o franc&ecirc;s Barnier, o primeiro-ministro brit&acirc;nico, Boris Johnson, ter&aacute; de comunicar ao parlamento do Reino Unido n&atilde;o ter um tratado jur&iacute;dico sobre os termos do div&oacute;rcio para levar a votos. O comiss&aacute;rio franc&ecirc;s revelou ainda ter j&aacute; comunicado aos 27 Estados-membros o ponto da situa&ccedil;&atilde;o, sendo que o Independent noticia que Barnier ter&aacute; revelado aos seus pares que as propostas brit&acirc;nicas continuam sem cumprir os m&iacute;nimos necess&aacute;rios a um acordo.</p> <blockquote class="twitter-tweet"> <p lang="en" dir="ltr">I have just debriefed EU27 Ministers in Luxembourg. unity remains strong. We want an agreement that works for everybody: the whole <a href="https://twitter.com/hashtag/UK?src=hash&amp;ref_src=twsrc%5Etfw" target="_blank" rel="noopener">#UK</a> &amp; whole <a href="https://twitter.com/hashtag/EU?src=hash&amp;ref_src=twsrc%5Etfw" target="_blank" rel="noopener">#EU</a>. <br /><br />On route back to Brussels to take stock w/ my colleagues. <br /><br />Talks are difficult but I believe an agreement is still possible. <a href="https://t.co/FxQHCajg5b" target="_blank" rel="noopener">pic.twitter.com/FxQHCajg5b</a></p> &mdash; Michel Barnier (@MichelBarnier) <a href="https://twitter.com/MichelBarnier/status/1184041447273717760?ref_src=twsrc%5Etfw" target="_blank" rel="noopener">October 15, 2019</a> <script src="https://platform.twitter.com/widgets.js" async=""></script> </blockquote> <p>Segundo escreve o Guardian, que cita fontes comunit&aacute;rias, enquanto e se Londres mantiver uma posi&ccedil;&atilde;o de intransig&ecirc;ncia restam escassas possibilidades de ser aprovado um acordo antes da cimeira europeia que tem in&iacute;cio na pr&oacute;xima quinta-feira.<br /><br /></p> <p>O Conselho Europeu de 17 e 18 de outubro tem o prop&oacute;sito de avaliar um eventual acordo que seja fechado, ao n&iacute;vel t&eacute;cnico, entre as partes de modo a ser validado politicamente pelos l&iacute;deres dos restantes 27 Estados-membros da Uni&atilde;o Europeia.<br /><br /></p> <p>Se Boris Johnson n&atilde;o aceder, n&atilde;o ter&aacute; nenhum documento para levar &agrave; C&acirc;mara dos Comuns a 19 de outubro, &uacute;ltimo dia para o primeiro-ministro brit&acirc;nico aprovar um acordo no parlamento. Sem isso, Johnson &eacute; obrigado a solicitar a Bruxelas um novo adiamento da data para a concretiza&ccedil;&atilde;o do Brexit, que continua prevista para 31 de outubro (e que foi j&aacute; por duzas vezes adiada).<br /><br /></p> <p>Depois de um breve encontro realizado j&aacute; esta manh&atilde; com Barnier, o ministro brit&acirc;nico do Brexit, Stephen Barclay, reiterou que a obten&ccedil;&atilde;o de um acordo "&eacute; ainda muito poss&iacute;vel" e pediu "espa&ccedil;o" para que as "negocia&ccedil;&otilde;es em curso" possam prosseguir. Antes j&aacute; Michel Barnier tinha cancelado uma confer&ecirc;ncia de imprensa marcada para o in&iacute;cio da manh&atilde;, o que a imprensa brit&acirc;nica l&ecirc; como um sinal de que as conversa&ccedil;&otilde;es continuam sob um ritmo intenso.<br /><br />Um dos maiores partid&aacute;rio do Brexit, o conservador Jacob Rees-Mogg, atualmente l&iacute;der da C&acirc;mara dos Comuns, garantiu entretanto que se Londres e Bruxelas alcan&ccedil;arem um acordo, o mesmo ser&aacute; aprovado, no s&aacute;bado, pelos deputados brit&acirc;nicos. O acordo de sa&iacute;da negociado com Bruxelas por May foi tr&ecirc;s vezes chumbado na C&acirc;mara dos Comuns, onde o governo "torie" liderado por Boris Johnson j&aacute; n&atilde;o disp&otilde;e de apoio maiorit&aacute;rio.<br /><br /><strong>Johnson e Macron querem evitar novos adiamentos</strong><br />O governante brit&acirc;nico falou j&aacute; esta ter&ccedil;a-feira com o presidente franc&ecirc;s, Emmanuel Macron, e de acordo com a BBC ambos est&atilde;o alinhados na inten&ccedil;&atilde;o de, se for poss&iacute;vel, evitar novos adiamentos da data para a sa&iacute;da brit&acirc;nica da UE ser consumada, no entanto, apesar de os dois considerarem verificar-se um momento positivo nas conversa&ccedil;&otilde;es, Johnson e Macron temem que os ainda v&aacute;rios "obst&aacute;culos" podem impedir um acordo em tempo &uacute;til.&nbsp;<br /><br />A BBC escreve ainda que, em Bruxelas, ganha for&ccedil;a a convic&ccedil;&atilde;o de que n&atilde;o ser&aacute; poss&iacute;vel garantir uma sa&iacute;da acordada do Reino Unido no dia 31 de outubro, restando saber se, a haver, um novo prolongamento ser&aacute; curto, apenas para limar arestas de detalhe por concensualizar, ou mais longo, neste caso para superar diferen&ccedil;as de monta entre os dois lados.<br /><br />Certo &eacute; que Johnson, apesar de ter assegurado que ir&aacute; cumprir a lei que o obriga a pedir um adiamento do Brexit num cen&aacute;rio de n&atilde;o acordo, mant&eacute;m que o Reino Unido sair&aacute; do bloco europeu na data prevista "sem ses, nem mas".</p>0https://www.cmjornal.pt/mundo/detalhe/ue-faz-ultimato-a-johnson-e-da-ate-a-meia-noite-para-ceder-no-brexithttps://www.cmjornal.pt/mundo/detalhe/ue-faz-ultimato-a-johnson-e-da-ate-a-meia-noite-para-ceder-no-brexit//cdn4.cmjornal.pt/images/2019-10/img_590x333$2019_10_15_15_04_00_894184.jpg1083649132Cm ao Minuto15-10-2019 19:19:22Vice-presidente dos EUA viaja para a Turquia para negociar cessar-fogo com tropas curdas na SíriaMike Pence irá à capital turca (Ancara) com o conselheiro de segurança nacional, Robert O'Brien.<p>O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, viaja para a Turquia "nas pr&oacute;ximas 24 horas" para tentar negociar um cessar-fogo entre as for&ccedil;as turcas e curdas na regi&atilde;o nordeste da S&iacute;ria, declarou esta ter&ccedil;a-feira um alto funcion&aacute;rio norte-americano.</p> <p>"O nosso objetivo n&uacute;mero um &eacute; aplicar a nossa diplomacia para tentar alcan&ccedil;ar um cessar-fogo e colocar a situa&ccedil;&atilde;o sob controlo" ap&oacute;s a ofensiva militar de Ancara, disse o alto funcion&aacute;rio norte-americano, que falou sob a condi&ccedil;&atilde;o de anonimato, em declara&ccedil;&otilde;es &agrave; comunica&ccedil;&atilde;o social internacional.</p> <p>Mike Pence, que tinha indicado na segunda-feira que em breve iria deslocar-se &agrave; Turquia a pedido do Presidente Donald Trump, ir&aacute; &agrave; capital turca (Ancara) com o conselheiro de seguran&ccedil;a nacional, Robert O'Brien, e com o enviado especial dos Estados Unidos para a S&iacute;ria, James Jeffrey.</p>0https://www.cmjornal.pt/cm-ao-minuto/detalhe/siria-vice-presidente-dos-eua-vai-a-turquia-nas-proximas-24-horas-para-negociar-cessar-fogohttps://www.cmjornal.pt/cm-ao-minuto/detalhe/siria-vice-presidente-dos-eua-vai-a-turquia-nas-proximas-24-horas-para-negociar-cessar-fogo//cdn5.cmjornal.pt/images/2017-03/img_590x333$2017_03_03_07_46_15_605087.jpg